domingo, 30 de outubro de 2011

Lisbon & Estoril Film Festival 2011: Destaques



Mais um post excelente do http://splitscreen-blog.blogspot.com/







Este ano o Split Screen tem orgulho em anunciar que é um dos parceiros oficiais de divulgação do renovado Lisbon & Estoril Film Festival 2011. Numa conferência de imprensa na estação de comboios do Cais do Sodré foram anunciados os últimos pormenores da programação do festival que já se assume como um dos mais importantes do país e que se dividirá este ano entre Lisboa e Estoril, durante 4 a 13 de Novembro.


De destaque este ano temos uma série de convidados especiais, que participarão em variadas masterclasses: destacam-se nomes como o cineasta canadiano David Cronenberg, o actor Paul Giamatti, o realizador francês Leos Carax, os directores de fotografia Christopher Doyle e Peter Suschitzky, o produtor e realizador belga Luc Dardenne, o artista plástico espanhol Miquel Barceló, o realizador catalão Isaki Lacuesta, o actor e realizador francês Mathieu Amalric, a cineasta francesa Claire Denis, o realizador francês Bertrand Bonello, o cantor somali K'Naan, o supervisor musical Randall Poster, o violinista Gidon Kremer, a dramaturga Yasmina Reza e o escritor Peter Handke. O júri deste ano é composto pelos escritores Paul Auster, J. M. Coetzee, Don DeLilloe Siri Hustvedt, o artista plástico José Barrias, o coreógrafo português Rui Horta e a actriz e realizadora Valeria Bruni-Tedeschi; os já referidos Gidon Kremer, Peter Handke e Peter Suschitzky também integrarão o júri.


Serão feitas ainda homenagens aos cineastas Leos Carax e William Friedkin, com exibição de algumas das suas principais obras e uma retrospectiva do cinema de Wes Anderson, entre outros, bem como eventos que incluirão concertos, exposições, simpósios e ateliers.


Entretanto, o Split Screen apresenta alguns dos nossos destaques para o festival:


COMPETIÇÃO


Candidato da Albânia ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro 2012, Amnistia conta a história de uma mulher presa a um casamento com um presidiário. O filme gira em torno dos eventos ocorridos durante os dias de visita conjugal. Quando a mulher conhece na prisão um homem na mesma situação que a sua, ambos iniciam um caso amoroso. Mas tudo pode mudar quando os seus companheiros são libertados numa amnistia.


Realizado e protagonizado por Valérie Donzelli, La guerre est déclarée demonstrou ser um sucesso no Festival de Cannes 2011 e nos cinemas franceses onde teve mais de 800 mil espectadores. O filme que será o representante francês junto da Academia para Melhor Filme Estrangeiro 2012 centra-se na história de um casal que subitamente se vê a par com o cancro do seu bebé.


Segunda longa-metragem do realizador norueguês (mas nascido na Dinamarca) Joachim Trier, Oslo, August 31st estreou no Festival de Cannes 2011. O filme centra-se num dia da vida de Anders, um jovem prestes a terminar a sua reabilitação de drogas numa zona rural e aproveita uma breve saída à cidade para uma entrevista de emprego, para reencontrar velhos amigos em Oslo.


Único filme português em competição, A Vingança de uma Mulher ambienta-se numa cidade indeterminada do século XIX para uma história que retrata a vingança da duquesa de Serra Leoa sobre o seu marido, que matou o seu grande amor. Rita Azevedo Gomes inspira-se num texto publicado num texto de 1984. O filme é protagonizado por Rita Durão (As Bodas de Deus), Isabel Ruth (Viagem a Portugal) e Francisco Nascimento (Cinerama).


ANTESTREIAS


Na presença do realizador, será apresentado o filme L'Apollonide que estreou no Festival de Cannes 2011. O filme passa-se no início do século XX, num bordel de Paris, com destaque para uma prostituta marcada por uma cicatriz e as suas outras colegas de profissão.


Mais recente filme de Roman Polanski, adaptado da aclamada peça de teatro de Yasmina Reza, God of Carnage e conta a história de dois casais que se conhecem após uma briga entre os seus filhos na escola. O filme é protagonizado por Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz e John C. Reilly e terá estreia comercial no país a 29 de Dezembro.


Inicialmente chamado de A Talking Cure, a acção situa-se no início século XX e é centrada em Sigmund Freud e Carl Jung, os pais da psicanálise, e a relação deles com a jovem russa Sabina Spielrein, conhecida como a sua primeira paciente. O filme conta com o protagonismo de Viggo Mortensen, Keira Knightley e Michael Fassbender (Hunger), enquanto que no plano secundário teremos ainda a presença de Vincent Cassel e Sarah Gadon. O cineasta estará presente no festival. O filme estreia nos cinemas portugueses a 24 de Novembro.


Vencedor do prémio de Melhor Realizador no Festival de Cannes 2011, o dinamarquês Nicolas Winding Refn apresenta-nos a história de umm duplo de Hollywood que de noite é um motorista de fugas para criminosos e que acaba por descobrir que tem a cabeça a prémio depois de um golpe falhado com o namorado da sua vizinha. Protagonizado por Ryan Gosling, Carey Mulligan, Christina Hendricks, Ron Perlman, Bryan Cranston, Albert Brooks e Oscar Isaac, Drive estreia a 8 de Dezembro em Portugal.


Filme mais mainstream e menos trágico dos irmãos belgas, mas que continua com a imagem de marca dos dois autores. O filme conta a história de uma criança de 12 anos e a sua busca pelo pai, que o deixou temporariamente num lar de acolhimento. Mas tudo muda quando conhece Samantha, que o deixa ficar consigo aos fins-de-semana. Le gamin au vèlo é protagonizado por Thomas Dorete Cécile De France e estreia a 15 de Dezembro em Portugal.


O filme marca o regresso de George Clooney atrás das câmaras e de volta aos temas políticos desde Good Night, and Good Luck. (2005). No filme seguimos os meandros da campanha política do candidato às eleições primárias em 2004, Howard Dean - interpretado pelo próprio George Clooney. Ryan Gosling será o seu assessor de imprensa desiludido com os lobbies e teias da política, a demonstrar que 2011 é um grande ano para o actor. O elenco é complementado por Paul Giamatti, Marisa Tomei, Evan Rachel Wood e Philip Seymour Hoffman. O filme tem estreia marcada para 10 de Novembro.


As polémicas do cineasta no Festival de Cannes 2011 apenas contribuíram para uma maior divulgação do filme. Agora com uma estética ainda mais longe do estilo dogma 51, Melancholia é um belo retrato apocalíptico mas intimista do fim do mundo, quando um planeta escondido atrás do Sol, ameaça a sobrevivência do planeta. O filme centra-se em duas irmãs e na forma como encaram a destruição do planeta. Kirsten Dunst venceu a Palma de Ouro para Melhor Actriz no Festival de Cannes 2011; a ela juntam-se Alexander Skarsgård, Charlotte Gainsbourg, Kiefer Sutherland, Charlotte Rampling, John Hurt e Stellan Skarsgård. O filme estreia em Portugal a 01 de Dezembro.


Candidato espanhol ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e vencedor de nove prémios Goya, Pa negre é uma produção falada em catalão, adaptada do romance homónimo de Emili Teixidor e centrada numa criança que cresce nos duros anos do pós-guerra na Catalunha rural e que enfrenta um mundo diferente daquele que a sua moral acredita. Estreia a 01 de Dezembro.


Thriller negro do cineasta espanhol, com nuances de terror e ficção-científica, marcado pelo regresso da colaboração entre Pedro Almodóvar e Antonio Banderas. O filme centra-se num cirurgião plástico que inicia uma vingança brutal contra o homem que violou a sua filha e é protagonizado por Antonio Banderas e Elena Anaya. La piel que habito baseia-se no romance Mygale, de Thierry Jonquet. Estreia a 17 de Novembro nas salas portuguesas.


A história segue dois jovens que partilham a mesma preocupação com a mortalidade. A jovem com 16 anos descobre que tem uma doença terminal e apaixona-se por um rapaz marginalizado que sofre com a morte da sua família - o que de alguma forma produz um fantasma de um piloto japonês kamikaze da Segunda Guerra Mundial. Restless é protagonizado por Mia Wasikowska e Henry Hopper e estreia a 10 de Novembro.


FORA DE COMPETIÇÃO

Produção suíço-argentina, vencedora do Leopardo de Ouro no Festival de Locarno 2011, centrada em duas jovens que lidam com a morte da avó que as criou, de maneiras diferentes.


O lendário cineasta russo recupera o mito alemão de Fausto, o homem que vendeu a sua alma ao diabo em troca de conhecimento e que já mereceu várias adaptações cinematográficas. Este é o quarto filme seu que aborda os efeitos corrompedores do poder. Faust venceu o Leão de Ouro no Festival de Veneza 2011.

Do realizador de Aruitemo Aruitemo (2008), chega a história de uma criança de doze anos que vive com a mãe e avós maternos, enquanto que o seu irmão mais novo vive com o pai. Sofrendo com o divórcio dos pais, tudo o que deseja é a reunião de toda a família. O filme venceu o Prémio do Júri para Melhor Argumento no Festival de Sebástian 2011.


Killer Joe (2011), de William Friedkin
Extremamente bem recebido no Festival de Veneza 2011, Killer Joe marca o regresso de William Friedkin aos cinemas depois de Bug (2006). No filme, um pequeno traficante é roubado pela sua própria mãe. Se não arranjar seis mil dólares rapidamente será morto e desesperado recorre a Killer Joe, quando descobre que o seguro de vida da mãe vale 50 mil dólares. O filme é protagonizado porMatthew McConaughey e Emile Hirsch.


Minissérie da HBO, realizada pelo cineasta Toddy Haynes e vencedora de dois prémios Emmy. Recentemente exibida pelo canal FOX Life, os cinco episódios vão ser exibidos na íntegra no festival. Mildred Pierce baseia-se na história de James M. Cain, sobre uma mulher forte e corajosa nos anos 30, que tenta sobreviver ao divórcio e à pobreza. Contudo tem uma queda por homens incompetentes e uma devoção irracional à sua filha sem escrúpulos. Protagonizada por Kate Winslet, Melissa Leo, Evan Rachel Wood, Guy Pearce, Brían F. O'Byrne, James LeGros, Mare Winningham e Morgan Turner.






A programação completa do festival em .pdf pode ser consultada no sítio oficial.


sábado, 29 de outubro de 2011

As versões de Achtung Baby


A nova edição da revista Q assinala os 20 anos da edição do álbum Achtung Baby com o lançamento de AHK-toong BAY-bi, um disco de versões que convida alguns nomes do presente a reinventar faixas desse álbum de 1991 dos U2, entre eles surgindo figuras como as de Patti Smith ou Jack White e bandas como os Nine Inch Nails ou Depeche Mode. Aqui fica a lista dos nomes convidados e das faixas que assinam:

Nine Inch Nails – Zoo Station
U2 (Jacques Lu Cont Mix) – Even Better Than The Real Thing
Damien Rice – One
Patti Smith – Until The End Of The World
Garbage – Who’s Gonna Ride Your Wild Horses
Depeche Mode – So Cruel
Snow Patrol – Mysterious Ways
The Fray – Trying To Throw Your Arms Around The World
Gavin Friday – The Fly
The Killers – Ultraviolet (Light My Way)
Glasvegas – Acrobat
Jack White – Love Is Blindness


Esta é a minha favorita

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Actividade Paranormal 3

Actividade Paranormal 3 (Paranormal Activity 3)



Ano: 2011
Realização: Henry Joost e Ariel Schulman
Género: Terror
Neste terceiro filme, o jovem casal que se debate com espíritos ocultos irá encontrar ligações ao passado. Quando Katie regressa de casa de Kristi, sua irmã gémea, trazendo uma caixa contendo cassetes de vídeo caseiras com mais de duas décadas, não esperava encontrar nelas algumas das respostas mais ansiadas. Ali, em várias horas de filmagens, ela vê-se a si e à irmã, ainda crianças, em contacto com um espírito que as duas invocaram num jogo inocente de que não têm qualquer memória. Se, a princípio, as duas meninas o julgam amistoso, depressa percebem, aterrorizadas, que puseram em risco as suas vidas e a de todos os que as rodeiam. Realizado por Henry Joost e Ariel Schulman, um filme de terror psicológico que pretende ser uma espécie de "prequela" da história de "Actividade Paranormal" criada, em 2009, por Oren Peli (agora apenas na equipa de produção) que se tornou num extraordinário caso de sucesso nas salas de cinema de todo o mundo.



domingo, 23 de outubro de 2011

John Grant em Espinho II

Como devem ter lido no post anterior, a actuação de John Grant (JG), em Sintra, foi boa, apesar dos problemas de garganta que  apresentou. É curioso ler que tudo lhe é perdoado, até a falta de encore no concerto de Sintra. Isto acontece porquê?

Pelo que me apercebi em Espinho, a entrega do cantor é brutal e isto acontece em todas as canções. Foi o 1º concerto que assisti em que ouvi o silêncio entre as pausas naturais que surgiam na música, tal era o estado embevecido que estávamos. A sua voz enche por completo a sala e a sua mestria ao piano deixava-nos enlevados. JG explicou a história de cada música no inicio da mesma, dando um novo significado às letras já de si complexas. Tocou duas músicas da sua antiga banda The Czars, "Drugs" e "Los" e, outras novas,"You Don't Have" e "Vietnam" e "little pink house"que entrarão no próximo álbum. JG traz para a sua música as suas vivências dando à música um carácter real e com entidade própria. A sua ironia contagiante percorreu todo o concerto e contagiou a assistência, por momentos senti que estava lá em casa, na minha sala, com um amigo especial a contar histórias ao piano. Foi neste tom intimista que JG nos agraciou com a sua obra.
Foi aplaudido de pé por duas vezes, antes e depois do encore.
Consegui gravar algumas das músicas, mas a imagem é tão má que só vou mostrar esta gravação. O som, esse, nunca poderia sair mal pois é uma voz com um alcance "outer space". Eu, que sou bastante guloso, fiquei a saber que 99% da letra desta música foi "retirada" de um menu de uma geladaria que existe na cidade natal de JG desde os anos 40 e, na qual ele foi, à sua maneira, saboreando a vida. "I wanna go to Marz"... me too!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

John Grant em Sintra






Sintra Misty: John Grant em Sintra [texto + fotogaleria]
Num cenário de palácios e castelos, a estreia em Portugal do autor de um dos melhores álbuns de 2010 fez-se em grande, mesmo sem a voz em plenas condições.A espera foi longa para quem se apaixonou por Queen of Denmark em 2010, mas o concerto do norte-americano John Grant esta noite em Sintra compensou a espera. "Finjam que sou o Tom Waits esta noite", disse o músico, depois de explicar que a sua voz não se encontrava na melhor das formas, antes de terminar uma atuação (justificadamente) sem direito a encores com a belíssima "Little Pink House", canção dedicada à falecida avó e escrita ainda com os Czars, banda "enterrada" em 2004. 



"Obrigado" foi a primeira palavra que um público devoto ouviu da boca de Grant. Em pouco mais de uma hora, o músico, que no início se mostrou avassalado por Sintra, passeou-se pelas músicas do primeiro e único álbum a solo até à data, com simplicidade intensa, marcada por uma voz corpulenta e postura altiva, fazendo também incursões esporádicas pelo repertório dos Czars e apresentando, a abrir, dois temas que serão incluídos no próximo disco ("mais negro", que versará sobre "o fim de uma relação"). A acompanhá-lo esteve um "talented motherfucker", que o ajudou na missão de tomar conta, à vez, do piano e dos sintetizadores. 

Com uma voz que, em momentos, nos parece arrastar-se de forma similar à de Rufus Wainwright, Grant começou com as novidades: "You Don't Have" vagueia entre eletrónicas subtis, que casam bem com uma toada negra aprofundada em "Vietnam", com o músico já sentado ao piano. Sempre espirituoso - mesmo depois de perceber que a voz ia começar a dar-lhe problemas -, o músico recordou a sua infância passada no Michigan por diversas vezes, ora para explicar a história de "Marz" (tema escrito com a ajuda de um menu dos anos 40 de uma loja de doces muito especial), ora para pôr a nu as três imagens que o ajudaram a escrever "Fireflies", tema bónus de Queen of Denmark . 

Foi com teclas dramáticas e malabaristas que o músico deixou a sala do Olga Cadaval em suspenso, em temas como "Sigourney Weaver", com o humor ácido das palavras a exultar um público que se manteve sempre de olhos pregados a todos os seus movimentos; "Where Dreams Go to Die", com voz maquilhada de efeitos, lentidão quase fúnebre e sintetizador a colmatar a ausência das cordas; ou "Outer Space", momento sci-fi "cheesy", mas otimista, que escreveu para uma amiga. 

"Desculpem a minha voz. Fiquei doente e estou a perdê-la, mas não quis cancelar", explicou Grant antes de partir para as canções mais desafiantes da noite. "Los", recuperada ao grito de despedida dos Czars, Goodbye (2004), foi oferecida de forma solitária, ao piano, mas foi com "Queen of Denmark" (tema escrito na "parte de trás de um automóvel, na Escócia, depois de um mau concerto") que o músico mais penou para ultrapassar (com distinção, dizemos nós, apesar de imperfeições, que deram à interpretação intensa um sabor e emoção adicionais) as exigências de um refrão esmagador. Os aplausos, adivinhamos, só não foram servidos de pé por vergonha. 

O final estava próximo e não podia ter sido melhor entregue que ao desespero agudo e comovente de "Little Pink House". "Vemo-nos em breve", atirou John Grant antes de abandonar o palco para não voltar. Desculpas aceites. Mas só porque acreditamos que o seu regresso não vai tardar, para continuar a alimentar um amor que se adivinha duradouro e com espaço para crescer. Exponencialmente.




Em Sintra foi assim, em Espinho houve encore com a "JC hates faggots", que diga-se foi uma dose de energia brutal! E a voz estava impecável... Como diz o meu tio..."Já vai das sortes..."

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

John Grant em Espinho


A passagem de John Grant por Portugal já não é novidade nenhuma. No entanto, agora sabe-se que o autor daquele que foi considerado um dos melhores discos do ano que passou, Queen of Denmark, não vai actuar só no Centro Cultural Olga Cadaval.
Quem o anunciou foi a própria organização do festival Sintra Misty, responsável em primeira instância pela presença do ex-Czars no nosso Jardim. John Grant actua no dia 19 de Outubro, um dia antes de pisar o palco em Sintra, no Auditório de Espinho.

Novas edições: Lana del Rey, Video Games EP









Lana del Rey 


“Video Games EP” 


Stranger Records Limited 


5 / 5 





Apresenta-se como Lana del Rey, mas esse não é o nome que leva no bilhete de identidade. Foi, de resto, como Lizzy (diminutivo de Elisabeth) Grant que se estreou em disco, num EP que passou longe das atenções há uns dois anos... Mas algo completamente a espera agora. Tanto que o EP que junta Video Games e Blue Jeansé aguardado como uma das mais desejadas entre as estreias discográficas da rentrée... Já a descreveram de forma a sugerir nela uma herdeira de Nancy Sinatra. Faz sentido... Mas para preencher o retrato devemos juntar nomes como os de uma Julee Cruise ou Tori Amos. Mas num lugar onde uma pop faz sentido. E sob uma aura de encanto cinematográfico que faria todo o sentido algures entre os filmes de um David Lynch... Convenhamos que Lana del Rey junta num mesmo EP de estreia duas das melhores canções que 2011 já escutou. Entre um requinte sonhador, uma cenografia delicada definida pelas cordas, pelo dedilhar de harpa e por uma voz que desenha melancolia, Video Games é pura elegância da melhor pop. Blue Jeans junta a estes mesmos princípios uma cadência rítmica suave, texturas que usam elementos vocais, criando, apesar do protagonismo de Video Games, a melhor deste par de canções. O alinhamento do EP completa-se ainda com remisturas de Video Games por Mr Fingers (um veterano da primeira geração house de Chicago), que vinca uma ideia de arquitectura rítmica e Omid16B, mais focada na exploração de climas ambientais, mas igualmente sob presença de uma suave sugestão rítmica. Boa composição, uma voz que cativa e produção reflectida são trunfos que fazem deste EP uma das mais deliciosas estreias do ano. Venha o álbum para transformar esta promessa numa confirmação.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A melhor música dos últimos 15 anos...


E a melhor música dos últimos 15 anos é... -

E a melhor música dos últimos 15 anos é...

Leitores do NME elegeram 150 canções que marcaram a última década e meia. Amy Winehouse, Radiohead, Arcade Fire e The Strokes entre mais votados.

A propósito das celebrações do 15º aniversário do site do NME, os leitores daquela publicação on-line votaram nas suas canções favoritas dos últimos 15 anos.

A lista inclui 150 canções, anglo-saxónicas e maioritariamente do universo pop-rock, e pode ser consultada abaixo.

150 Manic Street Preachers - Australia
149 Crystal Castles - Crimewave
148 Coldplay - Clocks
147 Morrissey - First of the Gang To Die
146 Laura Marling - My Manic and I
145 Fever Ray - If I Had a Heart
144 The Killers - Human
143 Oasis - The Hindu Times
142 Foals - Hammer
141 Gorillaz - Clint Eastwood
140 Arctic Monkeys - A Certain Romance

139 Coldplay - Yellow
138 Bat for Lashes - What's a Girl To Do?
137 Doves - There Goes The Fear
136 Kelis - Milkshake
135 Kelly Clarkson - Since U Been Gone
134 Antony & The Johnsons - Hope There's Someone
133 The Strokes - Under Cover of Darkness
132 Daft Punk - Harder, Better, Faster, Stronger
131 Radiohead - Pyramid Song
130 Belle and Sebastian - The Boy With an Arab Strap

129 The Strokes - Reptilia
128 Hercules and Love Affair - Blind
127 En Vogue - Don't Let Go (Love)
126 Hole - Celebrity Skin
125 Klaxons - Atlantis To Interzone
124 Supergrass - Pumping on Your Stereo
123 Glasvegas - Daddy's Gone
122 Mercury Rev - Goddess on a Hiway
121 Santogold - LES Artistes
120 Pulp - This Is Hardcore

119 Aaliyah & Timbaland - We Need a Resolution
118 LCD Soundsystem - All My Friends
117 Blink-182 - What's My Age Again?
116 Wu Tang Clan - Gravel Pit
115 Kings of Leon - Chamer
114 Primal Scream - Accelerator
113 At The Drive-In - One Armed Scissor
112 Cee Lo Green - Fuck You
111 The Spice Girls - Wannabe
110 Sebastien Tellier - La Ritournelle

109 Ultrasound - Stay Young
108 Kasabian - Club Foot
107 Radiohead - No Surprises
106 Radiohead - Let Down
105 Cornershop - Brimful of Asha
104 Lily Allen - Smile
103 Lady Gaga - Poker Face
102 Art Brut - Formed a Band
101 The Horrors - Sea Within a Sea
100 Mystery Jets - Two Doors Down

99 MGMT - Kids
98 The Cribs - Men's Needs
97 Klaxons - Golden Skans
96 The Horrors - Sheena is a Parasite
95 The Knife - Heartbeats
94 Cansei de Ser Sexy - Let's Make Love and Listen to Death From Above
93 Radiohead - Reckoner
92 Peter Bjorn and John - Young Folks
91 Animal Collective - My Girls

90 Yeasayer - O.N.E.
89 The Futureheads - Hounds of Love
88 Jeff Buckley - Everybody Here Wants You
87 The Streets - Dry Your Eyes
86 The Rapture - House of Jealous Lovers
85 The Coral - Dreaming of You
84 The Hives - Hate To Say I Told You So
83 Kylie Minogue - Can't Get You Out of My Head
82 Queens of the Stone Age - Feel Good Hit of the Summer
81 OutKast - Ms. Jackson
80 Eminem - The Real Slim Shady

79 Blur - Song 2
78 The Verve - The Drugs Don't Work
77 Oasis - D'You Know What I Mean?
76 Beck - Where It's At
75 Manic Street Preachers - A Design For Life
74 Muse - Supermassive Black Hole
73 Blur - Out of Time
72 The Big Pink - Dominos
71 The Libertines - Don't Look Back Into the Sun
70 MIA - XXXO

69 Kanye West - Jesus Walks
68 Liars - Scarecrows on a Killer Slant
67 Ian Brown - F.E.A.R.
66 Super Furry Animals - The Man Don't Give a Fuck
65 Kasabian - Fire
64 La Roux - In For The Kill
63 Rihanna - Umbrella
62 Vampire Weekend - A-Punk
61 Arcade Fire - Keep The Car Running
60 The Drums - Let's Go Surfing

59 Dizzee Rascal - Bonkers
58 Destiny's Child - Say My Name
57 Eminem - Lose Yourself
56 The Killers - All These Things That I've Done
55 Yeah Yeah Yeahs - Maps
54 Battles - Atlas
53 Kanye West - Monster
52 The Prodigy - Firestarter
51 Sugababes - Overload
50 The Chemical Brothers - Hey Boy Hey Girl

49 Best Coast - Boyfriend
48 Foo Fighters - Everlong
47 Friendly Fires - Paris
46 Tv On the Radio - Wolf Like Me
45 Primal Scream - Swastika Eyes
44 Muse - Knights of Cydonia
43 Mumford and Sons - Little Lion Man
42 Aphex Twin - Come To Daddy
41 Elbow - One Day Like This
40 LCD Soundsystem - Losing My Edge

39 Yeah Yeah Yeahs - Zero
38 Kings of Leon - The Bucket
37 Coldplay - The Scientist
36 The Strokes - Hard to Explain
35 Johnny Cash - Hurt
34 Gossip - Standing in the Way of Control
33 Florence and the Machine - Dog Days Are Over
32 Gnarls Barkley - Crazy
31 The Walkmen - The Rat
30 Robyn - With Every Heartbeat

29 Crystal Castles - Alice Practice
28 The xx - Islands
27 Franz Ferdinand - Take Me Out
26 The Libertines - Can't Stand Me Now
25 Dizzee Rascal - Fix Up, Look Sharp
24 Jay Z - 99 Problems
23 The White Stripes - Seven Nation Army
22 Arcade Fire - Wake Up
21 Daft Punk - Around the World

20 Bloc Party - Banquet
19 Justice Vs. Simian - We Are Your Friends
18 Queens of the Stone Age - No One Knows
17 Missy Elliott - Get Ur Freak On
16 Beyoncé - Crazy In Love
15 MIA - Paper Planes
14 Foals - Spanish Sahara
13 Jay-Z & Alicia Keys - Empire State of Mind
12 MGMT - Time to Pretend
11 Arctic Monkeys - I Bet You Look Good on the Dancefloor

10 The Libertines - Time For Heroes



9 The Verve - Bitter Sweet Symphony


8 Amy Winehouse - Rehab



7 Hot Chip - Over and Over



6 The White Stripes - Fell in Love With a Girl


5 The Killers - Mr Brightside



4 The Strokes - Last Nite



3 Outkast - Hey Ya!



2 Arcade Fire - Rebellion (Lies)



1 Radiohead - Paranoid Android



Ler mais: http://blitz.aeiou.pt/e-a-melhor-musica-dos-ultimos-15-anos-e=f77039#ixzz1ah3JdDF3

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quad poster de "A Dangerous Method"

Mais um post "surripado" do meu blogue de cinema preferido...


Foi ontem divulgado um quad poster do filme A Dangerous Method, de David Cronenberg:


O filme tem feito um interessante percurso pelo circuito dos festivais de cinema, tendo sido elogiado sobretudo pelos desempenhos do trio de protagonistas: Viggo Mortensen (A History of Violence), Keira Knightley (Atonement) e Michael Fassbender (Hunger). O filme centra-se em Sigmund Freud e Carl Jung, os pais da psicanálise, e a relação deles com a jovem russa Sabina Spielrein, conhecida como a sua primeira paciente.

A Dangerous Method estreará em Portugal no Lisbon & Estoril Film Festival 2011 e nos cinemas a 24 de Novembro.


Ler mais: http://splitscreen-blog.blogspot.com/#ixzz1aVSWmzQ2

Bardot por Warhol



Em 1974, Andy Warhol recebeu, da parte de Gunter Sachs, a encomenda para um quadro de Brigitte Bardot. Sachs, que fora casado com a actriz francesa, entregou-lhe como referência uma fotografia de Richard Avedon, datada de 1959. Na verdade, Warhol acabou por fazer oito variações sobre a imagem de Avedon, utilizando uma técnica e uma paleta de cores semelhantes às que aplicara em retratos de Marilyn Monroe (1964) e Elizabeth Taylor (1965). Os oito objectos, que se tornaram indissociáveis da mitologia de Bardot, vão ser pela primeira vez exibidos em conjunto, em Londres – galeria Gagosian (10 Out. / 12 Nov.).
RICHARD AVEDON
Brigitte Bardot, 1959

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Chama-se "Chase The Tear" e é o último single dos Portishead...uma grande malha que deixa antever um grande álbum...

América dos anos 50

Contos de Richard Yates que, em conjunto, servem um retrato algo desencantado da América dos anos 50. 

Foi o autor de, entre tantos outros livros, Revolutionary Road, o romance de 1961 que serviu de base à adaptação ao cinema do filme homónimo de Sam Mendes, estreado em 2008. Um ano depois o norte-americano Richard Yatespublicava Onze Tipos de Solidão (recentemente editado entre nós pela Quetzal), uma colecção de pequenos contos, entre os quais passava uma ideia comum que o título desde logo sugeria: histórias de figuras solitárias. E são vários e diferentes os tipos de solidão de que fala Yates, dos que se isolam aos que acabam afastados pelos outros, da soma dos vários contos nascendo uma ideia maior que nos ajuda a criar retratos possíveis da América daquele tempo. E no fundo esse é o foco central do livro, que somando as partes gera um todo que reflecte sobre o que é, afinal, o sonho americano, a forma como se concretizava em cenários dos anos 50 onde, ao mesmo tempo, não deixava de haver uma tremenda sensação de vazio, discriminação e alienação


Fonte

domingo, 9 de outubro de 2011

Poster de "Shame", de Steve McQueen



Uma das grandes apostas para os Óscares deste ano (especialmente no que diz respeito à interpretação de Michael Fassbender) é Shame que acabou de ganhar um poster:



Segunda longa-metragem de Steve McQueenShame centra-se na vida de um trintão nova-iorquino com adição por sexo e na da sua irmã (Carey Mulligan) que acaba por ir viver com ele. O filme estreia a 13 de Janeiro de 2012 no Reino Unido.


Ler mais: http://splitscreen-blog.blogspot.com/#ixzz1aHcjRIiD

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

CONFISSÕES DE UMA NAMORADA DE SERVIÇO




CONFISSÕES DE UMA NAMORADA DE SERVIÇO
[The Girlfriend Experience]


um filme de Steven Soderbergh


com:
Sasha Grey
Chris Santos
Phillip Eytan


Cinco dias não consecutivos desvendam o dia-a-dia de Chelsea (Sasha Grey), uma jovem nova-iorquina de 22 anos. Prostituta de luxo em Manhattan, ela tem a vida aparentemente controlada: uma casa, um namorado compreensivo e uma vida luxuosa. A cada cliente ela oferece, a dois mil dólares por hora, o seu corpo e a sua mente, tornando-se sua namorada e amiga por um dia ou uma noite. Porém, quando os negócios implicam pessoas, tudo se torna imprevisível e Chelsea acaba envolvida em algo para além do seu entendimento.


Um filme de baixo orçamento, filmado em 14 dias pelo realizador Steven Soderbergh - algo que não é uma novidade para o cineasta: em "Sexo, Mentiras e Vídeo", o seu primeiro grande sucesso, Soderbergh ("Erin Brockovich", "Traffic - Ninguém Sai Ileso", "Ocean's Eleven") criou uma obra de culto com apenas 1,2 milhões e protagonizado por Sasha Grey, uma actriz de filmes porno.



"E o que interessa ao realizador acaba, também, por ser o mesmo que lhe interessa sempre: pegar num género hollywoodiano (no caso, o drama do casal em crise), desconstrui-lo e remontá-lo para encontrar um outro percurso, um outro modo de o contar. É por isso que Steven Soderbergh continua a ser o mais vital dos cineastas americanos - porque continua à procura de qualquer coisa numa paisagem cinematográfica em que a maior parte das pessoas preferem encontrar o que já conhecem." Jorge Mourinha, Público



Confissões de Uma Namorada de Serviço
De: Steven Soderbergh
Género: Drama
País: EUA
Classificacao: M/16

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Cinco posters dos distritos de Panem em "The Hunger Games"



O sítio viral do filme The Hunger Games em  thecapitol.pn tem desbloqueado, nos últimos dias, novas funcionalidades, de onde foram divulgados inclusive cinco posters com alguns dos distritos de Panem.






The Hunger Games é uma saga de ficção-científica para jovens adultos, situada num mundo pós-apocalíptico onde uma sociedade totalitária e controladora vigia toda a população. Os Estados Unidos estão agora divididos numa capital e 12 Distritos. Uma vez por ano, cada um dos distritos é obrigado a enviar dois adolescentes entre os 12 e os 18 anos (um do sexo masculino outro do sexo feminino), para participarem nos chamados Jogos da Fome, uma espécie de reality show, onde se compete numa arena até à morte. Jennifer Lawrence será Katniss, membro do Distrito 12 e que toma o lugar da sua irmã mais nova na disputa pelos Jogos da Fome.

O filme estreia em em Portugal a 29 de Março de 2012 num elenco composto por Jennifer LawrenceJosh HutchersonLiam HemsworthElizabeth BanksStanley TucciWoody HarrelsonDonald SutherlandToby Jones e Lenny Kravitz, entre outros.

Mais informações acerca do filme podem ser lidas em português no sítio Panem Portugal, gerido por fãs da saga e do qual o Split Screen é parceiro.


Ler mais: http://splitscreen-blog.blogspot.com/#ixzz1a1HG59KL

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

"The Suburbs", recebeu o Prémio Polaris

O mais recente disco dos Arcade Fire, "The Suburbs", recebeu o Prémio Polaris, para o Melhor Álbum dos últimos 12 meses em terras canadianas. Win Butler e companhia bateram o cantor de R&B Weeknd, os Destroyer, Austra, Braids, Galaxie, Hey Rosetta!, Ron Sexmith, Colin Stetson e Timber Timbre.

O galardão, que inclui um prémio monetário de cerca de 25 mil euros, foi aceite pelo baterista Jeremy Gara e pelo multi-instrumentalista Richard Parry, numa pequena cerimónia em Toronto: «Qualquer pessoa com menos de 18 anos que toque e toda a gente que já esteve num palco ou teve a oportunidade de fazer música e ter alguém a ouvi-la, continue a fazê-lo, porque daqui a 20 anos podes estar aqui com um disco muito melhor do que este», disse Gara no discurso de agradecimento.

Esta é a segunda nomeação dos rockeiros de Montreal para o importante prémio canadiano. Em 2007, o grupo viu Patrick Watson levar para casa o galardão por "Close to Paradise".
O Polaris Prize é entregue desde 2006. Final Fantasy (que agora usa o nome verdadeiro, Owen Pallett), Caribou, Fucked Up e Karkwa são os restantes vencedores.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Novas fotos de "The Girl with the Dragon Tattoo", de David Fincher




Depois de ter sido revelada a capa da revista Empire de Novembro, foram entretanto reveladas as fotografias que acompanham o artigo dedicado ao novo filme de David FincherThe Girl with the Dragon Tattoo.






The Girl with the Dragon Tattoo é o primeiro filme de uma trilogia a ser realizada por David Fincher, adaptada da saga Millennium do sueco Stieg Larsson e que já foi adaptada para os cinemas numa versão sueca, protagonizada por Michael Nyqvist e Noomi Rapace. O argumento da versão norte-americana é adaptado por Steven Zaillian (Schindler's List). 

O filme estreia a 19 de Janeiro de 2012 em Portugal.


Ler mais: http://splitscreen-blog.blogspot.com/#ixzz1ZqigsUm9

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Séries a granel


ZON Lusomundo reforça a partir de hoje o pacote TVCine com a oferta de um novo canal: o TVSéries. Este canal prima pela exibição de novas séries norte-americanas e britânicas com estreia em Portugal com poucos dias de diferença da estreia original, algo que tem sido pedido ao longo de vários anos pelos espectadores portugueses.

Entre a grelha do canal anunciada para Outubro destacamos algumas das apostas do canal, divididas entre novidades, séries recentes e clássicos da TV.

Séries novas (Outono 2011)

Com Chiwetel Ejiofor (Dirty Pretty Things) no principal papel, The Shadow Line é uma série britânica, do canal BBC Two, com sete episódios. A série segue a investigação de um assassinato pelos dois lados da linha - polícia e criminosos - opondo diferentes métodos de resolução.

Mais uma série de comédia da NBC, desta vez sobre um casal moderno que enfrenta os dramas da paternidade: uma mãe trabalhadora e um pai que fica em casa a tomar conta do bebé. Para complicar as coisas existe Ava, uma apresentadora de televisão e amiga do casal que, com as suas carências, se sente afectada com a chegada do bebé. A série conta com Christina Applegate (Samantha Who), Maya Rudolph (Bridesmaids) e Will Arnett (30 Rock).

Séries recentes

Os aficcionados da história americana não irão querer perder esta mini-série épica sobre um dos seus fundadores, John Adams. Vencedora de 13 prémios Emmy, incluindo os de melhor actor principal, melhor actriz principal e melhor mini-série, é baseada no livro homónimo de David McCullough. Paul Giamatti (Cinderella Man) e Laura Linney (The Big C) lideram o elenco.

Esta é uma série que quase dispensa apresentações. Acompanhando a vida, reinado e casamentos do rei Henrique VIII, e da autoria do oscarizado Michael Hirst, The Tudors demarcou-se das outras como uma série sem pudores. Na primeira temporada são abordadas as relações políticas do reinado e Catarina da Aragão e Ana Bolena, na segunda temporada temos a primeira abordagem aos problemas entre o rei e o Papa relativamente ao seu divórcio e posteriormente a criação da Igreja Anglicana, enquanto que na terceira foca-se a resposta do povo à sua criação. A série conta com nomes como Jonathan Rhys Meyers (Match Point) e Henry Cavill (The Count of Monte Cristo).

Clássicos

Mundialmente considerada como uma das melhores séries de sempre, The Sopranos segue a vida de Tony Soprano, um típico empresário de meia idade que tem uma esposa dedicada, um não tão dedicado filho, uma filha, um tio que está a perder a sanidade, um sobrinho de cabeça quente, uma não tão secreta amante e uma psiquiatra a quem conta todos os seus segredos, excepto aquele que ela já sabe: Tony é um chefe da Máfia. Com James Gandolfini (The Mexican), Lorraine Bracco (GoodFellas) e Edie Falco (Nurse Jackie) nos principais papéis, esta é uma série que não pode perder se nunca viu.

Quando se está no negócio da morte, como é a tua vida? Para a família Fisher o mundo fora da sua família continua a não ser tão desafiante como a vida familiar, que passa por gerir uma casa funerária. Considerada a série que fez revelar Alan Ball como um argumentista de peso no seu ramo, ganhou inúmeros prémios durante as suas cinco temporadas, incluindo prémios Emmy e Globos de Ouro. O elenco conta com nomes como Peter Krause (Parenthood), Michael C. Hall (Dexter) e Frances Conroy (The Aviator).


Ler mais: http://splitscreen-blog.blogspot.com/#ixzz1ZkAbYOOm